Até o momento, as lavouras de milho 2ª safra 2016/2017 apresentam ótimas condições de desenvolvimento em Mato Grosso do Sul, segundo a Circular Técnica nº 207, do Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio).

O levantamento, divulgado pela Aprosoja-MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul) ontem (4), aponta que até a 4ª semana de abril, quando técnicos do Siga MS visitaram propriedades rurais em todo o Estado, os níveis de chuva e umidade no solo estavam altamente propícios para o bom desenvolvimento do cereal.

De acordo com o analista de grãos do Sistema Famasul, Leonardo Carlotto, as condições e a qualidade das plantas na safra atual de milho estão mais homogêneas e favoráveis que no mesmo período do ano passado. “Em algumas regiões, o índice de biomassa, que indica essas condições, é até maior que a média histórica”, analisa.

As chuvas têm contribuído para isso. “De forma geral, no sul de MS, tem chovido cerca de 200 milímetros a menos e, no centro-norte, 100 milímetros a menos que a média histórica para essas regiões. Mesmo assim, as chuvas têm sido satisfatórias e estão bem distribuídas”, finaliza.

Estimativa é de que o Estado tenha plantado 1,8 mi de hectares

Para o milho 2ª safra 2016/2017, a estimativa da Aprosoja-MS é de que o Estado tenha área plantada de 1,8 milhão de hectares, sendo a projeção de volume de produção de 9,180 milhões de toneladas. Com isso, espera-se alcançar produtividade média de 85 sacas/ha.

O número estimado de produtividade é 45,5% superior ao efetivamente alcançado na 2ª safra do ano passado, quando houve quebra na produção de milho em razão de questões climáticas. Em 2016, a produtividade média do Estado foi de 58,4 sacas/ha. (Com assessoria)