A Orquesta Vai Quem Vem leva seu batuque ao ‘Luz, Poesia e Tambor’ amanhã. (Foto: Ana Carolina Fonseca/Divulgação)

A Orquesta Vai Quem Vem leva seu batuque ao ‘Luz, Poesia e Tambor’ amanhã. (Foto: Ana Carolina Fonseca/Divulgação)

Em busca da união entre cores, sons e gestos e através desse sentimento uno, no rufar dos tambores, os alunos da disciplina de instrumento musicalizador do curso de música da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), participantes da Oficina de Percussão Lapebá e convidados especiais, que afinam, de alguma forma, suas vidas ao som do tambor apresentam amanhã o “Luz, Poesia e Tambor – Concerto de Percussão” no Teatro Glauce Rocha, às 20h, com entrada franca.

O concerto é coordenado pelo professor Felipe Brito. “Desde de meu ingresso na UFMS tenho utilizado concertos como forma de avaliação para uma das disciplinas que leciono –instrumento musicalizador– percussão e para uma oficina de percussão que é o Lapebá –laboratório de percussão e batucaria que também ministro na universidade”, comenta.

O Lapebá é uma oficina ministrada por Felipe antes mesmo de entrar na universidade como professor. Tal oficina objetiva o estudo de música e dos sons a partir de instrumentos de percussão. “Chama-se laboratório pelo fato de não nos prendermos a estéticas musicais e instrumentais, nos permitindo às experiências que queiramos realizar sonoramente. Então misturamos tudo que der: música eletrônica com tambores, música folclórica brasileira com música africana, música e gesto, música e cores, música e imagens, música e teatro e por aí vai”. E complementa: “Após meu ingresso na universidade, acabei por levar esta oficina para lá e disponibilizá-la para a comunidade acadêmica e não acadêmica. Então esta oficina acontece uma vez por semana na UFMS e é aberta ao público de forma gratuita. Para participar é necessário entrar em contato por e-mail para ver a disponibilidade de vagas” explica.

O concerto, e as apresentações em geral, são avaliações motivadoras para os estudantes os fazem querer estudar cada vez mais para executarem bem o que se propõe apresentar. Desta forma, o objetivo principal deste concerto é avaliar estudantes do Curso de Música da UFMS de uma maneira que não seja apenas passar uma prova e acabar por aí mesmo. “Aproveitar todo o período de estudo desses estudantes e mostrar para a comunidade um repertório diferente, o qual, muitas das vezes, não estão acostumados a ouvir”, completa o professor.

A cantora de reggae Marina Peralta faz show no evento como convidada; ela é a compositora do hit ‘Agradece’, que dá nome ao seu álbum. (Foto:Ana Carolina Fionseca/Divulgação)

A cantora de reggae Marina Peralta faz show no evento como convidada; ela é a compositora do hit ‘Agradece’, que dá nome ao seu álbum. (Foto:Ana Carolina Fionseca/Divulgação)

O nome do evento remete ao conceito que se pretende trabalhar nessa apresentação. Geralmente, os concerto de música o espectador está acostumado ao contexto do teatro, com luzes focadas nos instrumentistas, terno e gravata, instrumentos de alta qualidade sendo tocados, músicas conhecidas do repertório instrumental etc. A proposta é não apenas apresentar músicas por elas mesmas, mas trazer a relação existente entre aspectos extramusicais que podem influenciar e ser influenciados na construção do significado musical. Por isso essa apresentação utiliza de cores, luzes, poesia, materiais não convencionais como instrumentos, improvisos livres no palco, dentre outros artifícios, para proporcionar uma estética diferenciada de concerto musical.

Convidados como, percussão de Orquestra Vai Quem Vem –Luis Carlos Santana; Marina Peralta, Bèget de Lucena e Vinil Moraes já marcaram presença nesse encontro.

“Pensei em aproveitar o momento para estabelecer um encontro entre os acadêmicos que estudam comigo e artistas importantes do cenário regional de maneira a possibilitar uma troca de experiências e de modo a levar para o concerto estilos musicais que não vemos todos os dias em concertos de música”, finaliza o organizador e músico Felipe Brito.