Recuperado de caxumba que o assolou no começo do ano, capitão do Peixe diz estar pronto para encarar The Strongest (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Recuperado de caxumba que o assolou no começo do ano, capitão do Peixe diz estar pronto para encarar The Strongest (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Santos e The Strongest se enfrentam hoje, às 20h45 (de MS), na Vila Belmiro, pela segunda rodada do grupo 2 da Libertadores da América. Os ingressos já estão esgotados. Quinto maior artilheiro do Santos na competição, com 9 gols, Ricardo Oliveira está pronto para o duelo diante do adversário da Bolívia.

Vice-campeão da Libertadores de 2003, Ricardo Oliveira está com saudades de jogar na Vila pela maior competição de clubes do continente. Segundo o atacante, a atmosfera do “alçapão” é única.

“Não é uma ansiedade, mas desejamos que chegue logo este jogo. Queremos sentir novamente a atmosfera da Vila Belmiro em uma Libertadores. Queria ter essa sensação novamente. Agora chegou o momento de vestir o uniforme e ir para dentro do nosso campo”, prometeu o capitão santista.
Com expectativa de um grande duelo, Ricardo Oliveira já sabe o que ele e seus companheiros precisam fazer para conquistarem os três pontos dentro de casa.

“Na Libertadores é tudo muito diferente. Sabemos que um ponto fora de casa é muito importante, como o que conseguimos lá no Peru. Acredito que eles (The Strongest) vêm pensando nisso. Devem jogar fechados. Me surpreenderia muito se eles viessem com uma proposta ofensiva, marcando a gente lá em cima. Temos que saber jogar e ser pacientes. Vamos buscar o resultado o tempo todo”, ressaltou o jogador de 36 anos.

David Braz lamenta ‘rodízio’ na zaga e se preocupa com dupla do The Strongest

O zagueiro David Braz, 29, está preocupado com o desentrosamento da zaga santista. Nesta temporada, o técnico Dorival Júnior já utilizou cinco zagas diferentes por conta de lesões dos atletas. Contra o The Strongest, o defensor não sabe se terá Cleber, que se recupera de lesão, ou Lucas Veríssimo, ao seu lado.

“Precisamos manter uma defesa, já ter tranquilidade e ter entrosamento ideal. Infelizmente por conta de contusões, não pudemos fazer a mesma dupla de zaga. É difícil para o professor não poder montar a mesma equipe durante a temporada. Espero que se resolva e o torcedor volte a acostumar com a equipe titular”, disse.

David Braz também está preocupado com o poderio ofensivo do time boliviano. O jogador, inclusive, destacou dois jogadores que podem complicar a partida: Chumacero e Pablo Escobar.

“Vamos ter uma marcação mais certeira, daremos atenção. São jogadores que chutam muito bem fora da área. Chumacero é perigoso, precisaremos de atenção. A equipe está muito bem montada, vem forte. Vem jogando muito bem. É um jogo difícil, onde teremos que jogar muito para conquistarmos nosso objetivo, que são os três pontos”, afirmou Braz.

A dupla que preocupa David Braz já marcou nove gols em cinco jogos na Libertadores. Chumacero marcou seis, enquanto Escobar balançou as redes três vezes. (Com Folhapress)