Luan Pimentel, de quimono azul, do Ismac, em ação durante o Grand Prix em São Paulo, realizado no sábado (11) (Foto: Bruno Miani/CBDV/Inovafoto)

Luan Pimentel, de quimono azul, do Ismac, em ação durante o Grand Prix em São Paulo, realizado no sábado (11) (Foto: Bruno Miani/CBDV/Inovafoto)

O judoca Luan Pimentel, 19 anos, foi um dos seis brasileiros a conquistarem o ouro no Grand Prix Internacional Infraero de Judô para Cegos. A competição aconteceu no sábado (11), em São Paulo (SP), e também serviu de preparação para os Jogos Parapan-Americanos de Jovens, com início previsto para segunda-feira (20), na capital paulista.

Nascido em Camapuã –a 145 km de Campo Grande–, Luan foi o melhor na categoria até 73 kg.

“Estou muito feliz. Já tinha vindo nas outras etapas, nos outros anos. Fiquei em terceiro no ano passado e chegar à final este ano e conquistar o ouro que eu estava almejando me deixa muito feliz. Essa conquista pode ser para o futuro muito boa. Vou ficar para o treinamento da seleção e pode ser que eu ganhe pontos e espero continuar e chegar à seleção principal”, completou o sul-mato-grossense, judoca do Ismac, em entrevista à CBDV (Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais).

O Brasil ainda faturou o ouro com Wilians Araújo, da CEIBC-RJ, no peso-pesado; Lucia Teixeira, do Cesec-SP, na divisão dos leves; Giovana Pilla, da Acerg-RS, na categoria acima de 70 kg; e Arthur Cavalcante, da Adevirn-RN, nos 90 kg. A Rússia também se destacou, com seis medalhas de ouro. Com uma dourada cada, Romênia e Suécia fecharam as presenças no ponto mais alto do pódio.

O evento contou com a participação de 170 atletas, de 17 Estados, mais o Distrito Federal, além de judocas de Argentina, EUA, Romênia, Rússia e Suécia.

Mato Grosso do Sul obteve mais quatro medalhas de bronze em SP

Além de Luan, Mato Grosso do Sul contou com nove competidores no Grand Prix disputado em tatames paulistanos. Destaques para os bronzes da medalhista olímpica Michele Ferreira, da AJCS, na categoria até 63 kg; de Érika Zoaga, do Ismac, até 70 kg; Jorge Nakashita, do Ismac, até 60 kg; e Rafael Moreira, do Ismac, até 90 kg.