Mato Grosso do Sul triplicou o número de geração formal de empregos em fevereiro, em relação a janeiro, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados ontem (16) pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Foram gerados 2.517 postos de trabalho no Estado, contra 871 em janeiro.

Em nível nacional também houve saldo positivo, de 35.612 vagas. Mato Grosso do Sul está entre os 14 Estados que fecharam o mês no azul, entre eles estão todos os Estados do Sul, São Paulo e Minas Gerais (do Sudeste) e todos os Estados do Centro-Oeste, incluindo o Distrito Federal, além de Rondônia, Piauí, Roraima e Ceará.

Nas regiões Norte e Nordeste, o número de dispensas superou o de contratações, com reduções de 2.730 vagas e 37.008, respectivamente. O Caged considera apenas os empregos com carteira assinada.

Os números mostram recuperação em áreas importantes da economia, como a indústria de transformação e o setor de serviços, analisa o governo federal. A indústria teve saldo positivo de 3.949 vagas formais de trabalho e os serviços, 50.613. Em seguida, destacaram-se administração pública, com saldo de 8.280 vagas, e a agricultura, com 6.201.

São Paulo foi o Estado que teve o maior saldo de empregos em fevereiro (25.412), seguido de Santa Catarina (14.858), Rio Grande do Sul (10.602), Minas Gerais (9.025) e Goiás (6.849).

Os dados do Caged de janeiro mostravam que em Mato Grosso do Sul a Indústria gerou mais 441 empregos, a Construção Civil 370, Serviços 346 e Agropecuária 206. Quanto aos subsetores, destaque para a Indústria de alimentos e bebidas (100 vagas a mais), Serviços industriais e de utilidade pública (95 vagas a mais), Indústria de calçados (75 vagas a mais) e material elétrico (65 vagas a mais).

Entre os municípios, Três Lagoas apresentou melhor resultado com geração de 357 novos postos de trabalho, seguido Campo Grande (170), São Gabriel do Oeste (134), Itaquiraí (111) e Chapadão do Sul (106), isso em janeiro.