Prefeitura conta com 17 equipes na Operação Tapa-Buracos atuando nas ruas de Campo Grande, mas problemas ainda são sentidos pelos motoristas (Foto: Wesley Ortiz)

Prefeitura conta com 17 equipes na Operação Tapa-Buracos atuando nas ruas de Campo Grande, mas problemas ainda são sentidos pelos motoristas (Foto: Wesley Ortiz)

O governo de Mato Grosso do Sul e a Prefeitura de Campo Grande firmaram convênio de R$ 50 milhões para ampliar os serviços de tapa-buracos e recapeamento das principais vias da Capital. A decisão foi anunciada ontem (10) pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD), durante a reunião com a governadora em exercício, Rose Modesto (PSDB), na sede da administração municipal. A prioridade será para os corredores de ônibus.

Apesar da parceria, o acordo será assinado somente no dia 19 de janeiro, depois de ser feitos os ajustes técnicos no contrato. “Até o dia 19, teremos de ter R$ 20 milhões para que, com o valor consigamos tapar todos os buracos da nossa cidade. Os outros R$ 30 milhões serão para o recapeamento das principais vias da Capital”, disse Trad.

O dinheiro da contrapartida do município, segundo o prefeito, virá da arrecadação do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e do enxugamento de gastos e será dividido em quatro parcelas. Já o recurso do governo será do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul).

De acordo com o Executivo Municipal, o convênio entre as partes é de parceria mútua, na qual o Estado vai contribuir inicialmente com R$ 10 milhões, assim como a prefeitura terá também de desembolsar a mesma quantia até a assinatura do contrato. Já o restante, R$ 30 milhões, será definido somente após o cumprimento da primeira parte do combinado.

“Objeto é o esforço concentrado para diminuir e eliminar os buracos dessa cidade. Essa é uma medida paliativa, não era o que nós gostaríamos de entregar para a cidade, mas no momento temos de dar uma resposta à população da trafegabilidade”, concluiu.

Paralelamente ao tapa-buracos, de acordo com a prefeitura, uma equipe técnica fará o levantamento das vias que necessitam de recapeamento para que seja feito o planejamento para a execução do serviço.

A intervenção deverá começar pelas principais avenidas da cidade. Na segunda etapa, serão investidos os R$ 30 milhões, sendo R$ 15 milhões do município e R$ 15 milhões do Estado.

Durante a coletiva, a governadora em exercício, Rose Modesto, afirmou que a parceria será a primeira de muitas que o Executivo Municipal e Estadual têm pretensão de fazer. “Esse convênio é apenas um primeiro passo, de uma parceria sólida entre governo e prefeitura, que pretende fazer grandes coisas pela nossa cidade”, garantiu.

Prefeito quer que governo do Estado ajude na manutenção de parques

Indo ao encontro do que a governadora declarou, o prefeito Marquinhos Trad anunciou que buscará o Estado, para que colabore na recuperação e manutenção dos parques de Campo Grande. O prefeito se referiu ao acordo judicial firmado no ano passado, entre MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura, que previa melhorias e adequações em cinco parques da capital sul-mato-grossense.

“Em um momento que o governo passava por dificuldade financeira, o município assumiu integralmente a responsabilidade desses parques. E, agora, é a prefeitura que precisa de ajuda, neste sentido. Os parques só não estão fechados hoje, porque houve compreensão do Ministério Público, já que a gestão passada não cumpriu as cláusulas do TAC [Termo de Ajustamento de Conduta], que visava a regularizar a situação higiênico-sanitária e ambiental nestes locais”, explicou Marquinhos. (Com assessoria)