Saídas de Ganso e Neymar ainda podem gerar dor de cabeça ao Santos (Foto: Divulgação).

Saídas de Ganso e Neymar ainda podem gerar dor de cabeça ao Santos (Foto: Divulgação).

A Federação das Associações de Atletas Profissionais acionou o Santos na Justiça nesta quinta-feira de olho em quase R$ 2 milhões referentes a porcentagens das vendas de Alan Patrick, Jonathan, Rafael Cabral, Ganso e Neymar, conforme apuração do ESPN.com.br.

A Faap julga ter direito a 0,8% dos valores das transações, que totalizam exatos R$ 1,960.560,00. Por causa da Lei Pelé, a Federação tem direito a arrecadação do montante correspondente às transferências nacionais e internacionais.

Conforme diz o item B do artigo 47 da Lei Pelé, o dinheiro deve ser enviado pela entidade de prática desportiva cedente do atleta, ou, em outras palavras, o clube que o vendeu. Assim, a Faap diz que o Santos não repassou o referente a tais jogadores citados.

No total, a Faap quer R$ 98,74 mil referentes aos R$ 12,28 milhões da venda de Alan Patrick ao Shakthtar, R$ 96,8 da ida de Jonathan à Inter de Milão, R$ 120 mil da transferência de Rafael ao Napoli, R$ 245,6 mil da transação de Ganso ao São Paulo e R$ 1,39 milhões da saída de Neymar para o Barcelona.

Na Justiça, a entidade que toma conta dos atletas não apresenta nenhum comprovante dos valores das operações, mas mostra uma tabela de valores que calcula os gastos que estima com cada transferência.

Procurado, o Santos não comenta ações que correm no nome do clube no Poder Judiciário. O clube, por outro lado, ainda não foi citado de forma oficial no processo.