Conselho classifica revista íntima como “vexatória”, mas procedimento continuará em presídios de MS 

Revistas são consideradas “humilhantes”, mas como não há equipamentos de raio-x e scanners, procedimento continua